‘Trilha do Voto’: moradores de Belford Roxo, Caxias e Meriti sofrem com a ação de ladrões de carro; quase 1 por hora

Sobreviventes de ataques lembram os momentos de tensão nas mãos dos bandidos. Série de reportagens mapeia os principais desafios do próximo governador do estado do RJ.

0
17

e janeiro de 2017 ao fim de junho de 2018, 12.204 veículos foram roubados nas ruas de Belford Roxo, Duque de Caxias e São João de Meriti, na Baixada Fluminense – média de 22 por dia, ou praticamente um por hora.

Quem sobrevive às investidas dos bandidos, usualmente bastante violentos, nem sempre tem a opção de evitar determinadas ruas. O jeito é conviver com o medo.

Trilha do Voto: BaIxada Fluminense lidera as estatísticas de roubos de veículos

Trilha do Voto: BaIxada Fluminense lidera as estatísticas de roubos de veículos

Esta semana, o Bom Dia Rio, o RJ1 e o G1 estão levando ao ar a série “Trilha do Voto”, em que os maiores problemas do estado em diferentes áreas são mapeados e mostrados onde a situação é pior. Nesta segunda-feira (13), o tema é segurança.

Municípios com mais roubos de veículos no estado (Foto: Claudia Ferreira/G1)Municípios com mais roubos de veículos no estado (Foto: Claudia Ferreira/G1)

Municípios com mais roubos de veículos no estado (Foto: Claudia Ferreira/G1)

Histórias de medo

Não é necessário procurar muito para encontrar vítimas. Basta esperar um pouco em uma delegacia de plantão. Na madrugada de 21 de julho, na porta da 64ª DP (Meriti), apareceu um sujeito atordoado.

“Desespero total, velho”, resumiu o homem, horas antes abordado por quatro ladrões – um deles adolescente -, com duas armas de brinquedo. O grupo foi detido, e o carro, recuperado. Mas o medo ficou.

“Eles estão sendo presos agora, não sei se são réus primários, não sei o que eles são, então depois podem soltá-los”, frisa a vítima. “Trabalho na área onde eu fui roubado. Eles sabem onde eu moro, sabem que eu vim aqui. Fico oprimido, né?”, relata.

Valquinei Lessa foi roubado em Caxias por uma dupla numa moto. “Tem que pedir muito a Deus mesmo, que a proteção vem de Deus… Fora isso, proteção nenhuma, nenhuma”, desabafa.

“Quando eu vi, o carona já estava com a arma quase dentro do carro, no meu rosto”, lembra Valquinei. “O carro era o sustento da minha família”, destaca.

Thiago de Assis foi uma das vítimas de Belford Roxo. “Na hora de botar o capacete na moto me abordaram. Foi uma Duster. Era só moleque, tudo armado, devia ter uns seis”, lembra. “Muito agressivos, minha esposa quase apanhou”, acrescenta.

“Pensei que iam me matar. Levaram meu tênis de corrida!”, conta Thiago, que não tem esperança de reaver a moto roubada. “Pelo menos, minha vida está aí, né?”


Fone: G1

DEIXE UMA RESPOSTA