Polícia investiga se dono de academia foi executado na Baixada Fluminense

978

A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que investiga a morte do empresário Felipe Lavina Machado, de 27 anos afirmou, na manhã desta terça-feira, que os criminosos conheciam a vítima. A principal linha de investigação da Polícia Civil é de que o crime foi uma execução. Apesar disso, o delegado-titular da especializada, Fábio Cardoso, não descarta a possibilidade de latrocínio, que é roubo seguido de morte.

– Eles chamaram o Felipe pelo nome, então tudo leva a crer que foi premeditado, mas não descartamos latrocínio, já que pertences foram roubados. Além disso, os criminosos estavam usando touca, provavelmente para não serem reconhecidos – disse Fábio.

Felipe foi morto a tiros na Baixada Fluminense
Felipe foi morto a tiros na Baixada Fluminense Foto: Divulgação

Parentes do empresário estiveram na manhã desta terça na delegacia para prestar depoimento. O pai da vítima, Wilson Machado, afirmou acreditar que logo a polícia vai achar os culpados.

– Estou saindo hoje daqui mais otimista de que a delegacia logo irá prender quem fez isso com o meu filho, que só pensava em estudar e trabalhar e não tinha envolvimento com nada de errado – falou.

A DHBF informou que imagens de câmeras próximas à casa do empresário vão ser analisadas para ajudar nas investigações. A namorada de Felipe também esteve na delegacia nesta manhã, mas não quis dar entrevistas.

Bastante abalado um amigo do empresário, o professor de educação física Carlos Vinicius, falou que Felipe sempre foi muito querido por todos e desconhece algum envolvimento do empresário com crimes.

Parentes prestaram depoimento na DHBF
Parentes prestaram depoimento na DHBF Foto: Cléber Júnior / Extra

– Éramos amigos há anos, um cara super gente boa, que todo mundo gostava. Uma tragédia o que aconteceu. Espero que achem logo os culpados – comentou.

As duas academias do empresário, uma em Mesquita e outra em Belford Roxo, todas na Baixada Fluminense, decretaram luto de três dias.

Entenda o caso:

Felipe Lavina foi morto no último domingo na frente da namorada, que está tendo a identidade preservada. Ela teve os olhos vendados no momento do crime e foi agredida. A mulher contou, em depoimento na delegacia, que os suspeitos chegaram à casa do empresário chamando-o pelo nome. Felipe foi morto com pelo menos um tiro na cabeça. Ele foi enterrado nesta segunda-feira.

De acordo com a Polícia Militar, Felipe Lavina e sua namorada foram levados até a Rua Santa Maria, no bairro K11, em Nova Iguaçu. O grupo percorreu uma distância de cerca de três quilômetros. Alguns metros depois, o carro e a namorada da vítima foram deixados pelos suspeitos. Os criminosos ainda teriam levado R$ 10 mil em dinheiro, além de roupas e objetos da casa do empresário.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.