Polícia apreende material para implantes estéticos vencido em salão em Nova Iguaçu

0
15

Metacril, silicone industrial e vários anestésicos também foram encontrados no local. Segundo agentes, são cerca de 200 caixas com os materiais.

oliciais da Delegacia do Consumidor (Decon) encontraram nesta quarta-feira (1º) cerca de 200 caixas de metacril (polimetilmetacrilato, também conhecido pela sigla PMMA), silicone industrial e anestésico em um salão de beleza em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A dona do salão, Fernanda Silva de Almeida, foi presa e pode ser transferida ainda nesta quarta para um presídio.

O metacril encontrado no salão estava vencido. A Polícia Civil suspeita que no local eram realizados procedimentos estéticos em mulheres.

Fernanda Silva de Almeida, de 39 anos, já tinha cinco anotações criminais, segundo informações da polícia. Em 2014, ela foi autuada no crime contra ordem tributária, por portar produtos fora da validade. Em 2016, respondeu uma investigação sobre injúria. Por fim, em 2017 ela respondeu por exercício ilegal da medicina, ameaça e novamente por portar produtos fora da validade.

Ela disse em depoimento que trabalha no Hospital Federal dos Servidores do Estado, no Centro, como auxiliar de enfermagem. Mas em seu salão de beleza, foram encontrados equipamentos cirúrgicos do Hospital Municipal Pedro II, na Zona Oeste. A Decon irá investigar como ela teve acesso a esse material.

“Ela é conhecida como Fernanda Enfermeira. No salão dela, tinha medicamentos impróprios para consumo com vencimento desde janeiro até semana passada. Ela vai responder por exercício irregular da medicina, crime de produto vencido, falsidade material tendo em vista os receituários médicos encontrados com assinatura de um médico sem estarem devidamente preenchidos e receptação qualificada tendo em vista que tinha no salão equipamentos cirúrgicos provenientes do Hospital Pedro II”, disse a delegada da Decon, Daniela Terra.

Segundo o advogado da mulher, ainda não é possível afirmar se ela praticou algum tipo de delito. “O procedimento ainda encontra-se em sede policial e posteriormente será encaminhado para a apreciação do Judiciário. Ainda há averiguação do material localizado no estabelecimento comercial e a acusada provará a sua inocência perante a justiça”, disse Eduardo Franceschi.

Investigações procedimentos estéticos

A apreensão ocorre em um momento onde ocorrem diferentes casos envolvendo a morte de mulheres devido a aplicações do mesmo tipo de material, como da bancária Lilian Calixto, a modelo Mayara Silva dos Santos e a prisão de personagens como Mariana Batista de Miranda, investigada pela morte de Fátima Santos de Oliveira.

Durante a ação no salão, o gerente do estabelecimento foi detido e o local interditado, já que funcionava sem alvará. Ele foi levado até a delegacia onde prestou depoimento e foi liberado.

Polícia apresenta apreensão de material para implantes estéticos (Foto: Matheus Rodrigues/G1)Polícia apresenta apreensão de material para implantes estéticos (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Polícia apresenta apreensão de material para implantes estéticos (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Depoimento de Paty Bumbum

Patrícia Sílvia dos Santos, conhecida como Paty Bumbum, prestou depoimento por 40 minutos nesta quarta-feira (1) na sede da especializada.

Segundo a delegada Daniela Terra, Paty Bumbum será indiciada por lesão corporal e estelionato. Ela já foi indiciada por exercício ilegal da medicina.

O advogado de Paty Bumbum negou que Valéria Santos seja sócia dela. Valéria é acusada de envolvimento na morte da modelo Mayara Silva dos Santos.

“Ela só a conheceu no curso de formação que elas fizeram”, afirmou o advogado de Patrícia, Sérgio Vinícius. Segundo ele, este seria o único contato entre elas.

A delegada confirmou que ela respondeu apenas um questionamento. “A única pergunta que ela respondeu é se ela conhecia a Valéria Santos. Ela disse que a conheceu no curso de formação [em massoterapeuta] e ela nem tinha contato com ela e há anos não a encontra. Ela negou que tenha feito qualquer tipo de procedimento”, destacou Daniela Terra.

Na segunda-feira (30), mais três clientes prestaram depoimento. Ainda de acordo com a delegada Daniela Terra, duas delas apresentavam lesões aparentes no corpo.


Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA