Fusca completa 70 anos de existência.

0
841
A primeira semana de 2016 marca uma data histórica para um dos veículos mais icônicos da indústria automotiva: há 70 anos, saía das linhas de produção de Wolfsburg, na Alemanha, o primeiro Volkswagen Fusca.

O carro, que tem sua origem proveniente do governo nazista de Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial, tornou-se um símbolo da mobilidade moderna, com mais de 21 milhões de unidades vendidas ao longo de décadas de produção da sua versão clássica.

Porsche apresenta o projeto Type 1 para Hitler e a cúpula nazista

Os primeiros protótipos do Fusca datam de 1936. O Volkswagen “Type 1”, como se chamava o projeto antes de adotar o nome Beetle lá fora, foi desenhado por Ferdinand Porsche (que também dá nome à marca de carros esportivos que conhecemos hoje), sob encomenda de Adolf Hitler, que desejava um carro pequeno, barato e popular para a Alemanha.

Volkswagen Fusca 1938 ainda era um "conceito"

Em 1945, último ano da Segunda Guerra Mundial, o governo britânico tomou posse da planta de Wolfsburg, que havia sido transformada em uma fábrica majoritariamente militar pelos nazistas durante o conflito, e começou o processo para revertê-la ao uso civil. Até então, apenas 630 unidades do Fusca foram construídas, todas voltadas ao uso dos Aliados (grupo de países que lutaram contra a Alemanha).

Foi a partir de 1946 que o Fusca começou a ser destinado aos consumidores, mas em seus primeiros dois anos de existência o volume de produção não passava de mil unidades ao mês. Em de 1948, quando o modelo já começava a ser vendido em outros países, a Volkswagen passou a expandir significativamente a fabricação do carro, já aproveitando o crescimento da popularidade do modelo.

Em 1965, o Fusca já ostentava o seu visual clássico

A proposta que os alemães tinham para o Fusca ia além da necessidade meramente capitalista de fazer um veículo barato e acessível a uma classe bem mais ampla da sociedade. Após a guerra, o Fusca atuava como uma espécie de embaixador de uma nova imagem da Alemanha, que havia acabado de promover os maiores genocídios culturais do século XX e outros crimes contra a humanidade. O Beetle seria uma vitória da democracia, apelando para o povo a salvação da reputação alemã.

No Brasil, a história do Fusca começa em 1951, quando as primeiras unidades do popular desembarcaram por aqui. A produção nacional se deu em 1959 e continuou até 1986. Neste período, quatro motores passaram sob seu capô (1.200 cm³, 1.300 cm³, 1.500 cm³ e 1.600 cm³) e 3,3 milhões de unidades foram vendidas no país.

No Brasil, a Volkswagen produziu o Fusca continuamente até 1986

Em 1993, contudo, o então presidente Itamar Franco exige a retomada de produção do Fusca. Com uma concorrência muito mais moderna e diversificada (especialmente após a abertura do mercado de importações no Brasil no começo dos anos 1990), a sobrevida do ícone completou apenas três anos, sendo encerrada permanentemente em 1996. Lá fora, o Volkswagen Beetle ainda perdurou por mais tempo: a última unidade dele saiu das linhas de produção de Puebla, no Méximo, em 2003.

Em 1997, a Volkswagen tentou reviver a marca Beetle lançando um modelo retrô, com base no visual do clássico Fusca, só que feito sobre a plataforma do Golf da época. O resultado ficou longe de conquistar a popularidade — e o coração — dos apaixonados pelo Fusca. Havia diversos problemas com o veículo. O curto espaço interno não era compensando por uma dirigibilidade agradável, tampouco por um desempenho vigoroso. Por exemplo, no Brasil, o New Beetle era impulsionado por conjunto de motor 2.0 de 116 cv de potência, acoplado a uma transmissão automática de seis velocidades, que deixava a desejar na hora de acelerar.

New Beetle foi apresentado em 1997, mas não fez muito sucesso

Mesmo após a recepção pouco amigável do New Beetle no mercado, a Volkswagen decidiu renovar a marca Fusca 15 anos depois, com um modelo totalmente renovado. Assim como o predecessor, o Fusca, lançado em 2012, também deriva da mesma plataforma do Golf (a modular MQB, que dá origem a vários carros do Grupo VW). Porém, desta vez, o Fusca tem um forte apelo em desempenho, sobretudo por conta do motor 2.0 turbo de 211 cv de potência. O visual do Fusca atual também foi aprimorado, exibindo linhas mais robustas e esportivas, abandonando o charme retrô do New Beetle.

Já o Fusca, totalmente renovado e com motor 2.0 turbo, foi bem recebido

DEIXE UMA RESPOSTA