Ex-marotos relembram programa da Mara e destacam temperamento difícil dela

1156

Nos anos 80 e 90, Xuxa tinha os paquitos, Angélica, os angélicos e Mara Maravilha, os marotos. Os assistentes de palco da apresentadora dançavam, cantavam e faziam sucesso com seus longos cabelos. 

“A Mara tem uma personalidade forte, é uma baianinha arretada. Acho que ela encarou como um desafio entrar no programa. Depois que ela perdeu a mãe, a Mara ficou sem chão e está aprendendo a se virar sozinha. Aos poucos ela vai se lapidar e ficar melhor dentro do jogo. Ela é uma pessoa inteligente e vai ganhar forças”, disse Marcelo Storelli, que começou como maroto aos 14 anos, ficou no programa por quase cinco anos e hoje, aos 40, tem uma produtora de vídeo, é casado e pai de uma adolescente de 15 anos.

Reprodução

Os marotos posam sem camisa em pôster de revista nos anos 90

Marcelo produziu um documentário sobre os 30 anos de carreira de Mara, que deve ser lançado em breve. Da época de maroto, ele recorda que apesar das muitas obrigações com pouca idade, foi uma fase divertida.

“Era muita responsabilidade por parte da Mara e da mãe dela. Às vezes rolavam alguns estresses, pois éramos todos menores de idade e viajávamos muito. Em geral, a gente curtia bastante. Existia um envolvimento grande entre os marotos, as maravilhas [assistentes de palco]. Naquela época rolavam umas paquerinhas, mas eram só flertes mesmo”, conta.

Arquivo Pessoal

Mara Maravilha com os assistentes de palco Marotos e as Maravilhas

Daniel Martinez, 40 anos, começou aos 14 anos no “Show Maravilha” e ficou até os 19. O ex-maroto, que atualmente é dono de uma revendedora de automóveis, considera a apresentadora uma irmã e concorda que ela não tem uma personalidade fácil.

“A Mara era de um temperamento difícil. Era muito exigente, tinha que ser tudo muito perfeito e éramos novos e com muita responsabilidade. Nos ensaios, quem errava ela mandava fazer as coreografias sozinho com todo mundo olhando. Era chatinha [risos]. É só olhar ela na ‘Fazenda’, o povo tá lascado”, brinca.

Arquivo Pessoal

Mara e o maroto Daniel Martinez estampam capa de revista de 1992

Paulinho Lima, 40 anos, ex-marido de Mara Mavilha, trabalhou como diretor da Record até abril deste ano e é dono de uma produtora de vídeo. Ele começou no “Show Maravilha” depois de fazer uma peça de teatro com a Mara.  “Logo na sequência da peça, ela ganhou o ‘Show Maravilha’ e me chamou para começar o programa junto com ela. Eu era o maquinista do trem. Depois surgiram o grupo Os Marotos, em 1990, e eu entrei e fiquei até 94, quando o programa acabou. Logo depois, nós começamos a namorar e casamos. Ficamos juntos por nove anos”, conta.

A tão comentada rixa entre Xuxa e Mara, que foi desmentida pelas mesmas recentemente, também não era algo aparente para os marotos, que dizem nunca terem percebido um climão entre as duas. “O que existia era briga por ibope, o que acontece até hoje. Entre elas, sempre se deram bem, era uma disputa de emissoras mesmo”, analisa Marcelo.

O que ninguém imaginava era que marotos, paquitos e angélicos se davam muito bem e saiam juntos para jogar bola, andar de skate e paquerar.

“As paquitas eram um caso à parte, onde estavam chamavam a atenção. Estar junto delas era motivo de alegria. Se existissem selfies naquela época, era o que mais ia acontecer”, diz Marcelo.

Daniel entrega que já teve caso de maroto ficando com paquita. “O Marcelo ficava com uma paquita eu não me lembro o nome. Acho que era Flávia [Paquitita Pluft].”

Reprodução

Os ex-marotos Paulinho Lima, Daniel Martinez, Marcelo Storelli e Adriano Cesar em fotos atuais

Fama de brava

Para sair vencedora da “Fazenda”, Mara precisará ter autocontrole e não explodir caso se desentenda com alguém no programa. Paulinho Lima confessa que não está assistindo “A Fazenda”, admite que a apresentadora é uma pessoa difícil, de temperamento forte, e que isso pode prejudicá-la no jogo.

“Acho que um temperamento forte sempre é ruim, não é bom. A gente vê no ‘Big Brother’, nas edições anteriores da ‘Fazenda’ as pessoas que ganham não têm temperamento forte, elas são divertidas. Os polêmicos são bons para o reality, eles dão audiência, mas o povo não gosta disso, não. Acaba escolhendo pessoas divertidas, engraçadas. Acho que no fundo, temperamento forte atrapalha em tudo, até na vida real.”, opina.

Apesar de manter pouco contato com a ex-mulher, ele torce para que ela se dê bem no programa da Record. “Não sei nem que está na ‘Fazenda’. Conheço ela, então tomara que ela ganhe e tenha sucesso lá”, conclui.

Antonio Chahestian/Divulgação/Record

Mara Maravilha está em “A Fazenda 8”

Daniel acreditar que Mara pode acabar se envolvendo em confusões durante o reality show se não souber levar o jogo com a razão e menos emoção.

“Creio que possa se queimar um pouco, pois o povo não está acostumado com verdades e ela é assim verdadeira, fala o que pensa. Isso vai causar problemas, brigas. Agora no começo é tudo lindo, daqui a pouco o bicho pega. Estou torcendo por ela e acho que tem chance de ganhar é só ela controlar, pois quando fica brava ferrou. Isso pode atrapalhar”, analisa Daniel.

Adriano Cesar trabalhou alguns anos como maroto, é amigo de Mara há mais de 20 anos, e torce para que a peoa vença “A Fazenda”. “Acho que ela tem chance. Mara é esperta. Se não ela não seria Mara Maravilha”, diz ele, que atualmente trabalha como ator e é empresário.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.