Donos de pequenos negócios mobilizam-se para o dia 5 de outubro

556
Cartazes e brindes integram a receita dos empresários para divulgar o Movimento Compre do Pequeno Negócio

Mais de 55 mil empresas de todo o país já se cadastraram no site do Movimento Compre do Pequeno Negócio. Lançada em agosto pelo Sebrae, a iniciativa tem como data oficial o 5 de outubro, dia em que a sociedade é especialmente chamada a fazer suas compras em estabelecimentos de pequeno porte, aqueles que faturam até R$ 3,6 milhões por ano. São 10 milhões de empresas, responsáveis por 27% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional e pelo emprego de 52% dos brasileiros que têm carteira assinada.

Na página na internet (www.compredopequeno.com.br), os consumidores encontram listados empreendimentos de todas as áreas, como comércio de roupas, alimentos, perfumaria e itens de informática, além de serviços de construção, limpeza, comunicação etc. Já os donos desses mesmos negócios têm acesso a materiais de divulgação do movimento: basta se cadastrar, baixar os arquivos, imprimir cartazes ou adesivos e estampá-los na entrada das lojas, mostrando à clientela que aderiram à causa.

O empreendedor Bruno Amaral de Almeida, 26 anos, já começou a preparar sua confeitaria e os clientes para o grande dia que, no caso do Palácio dos Bolos, se estenderá por toda a primeira semana de outubro.

Quem entra na loja, em uma zona hoteleira de Jaboatão dos Guararapes (PE), logo nota na vitrine uma das criações de Renata Andreolli Lima, 29 anos, esposa de Almeida: um bolo com o coração formado pelo aperto de duas mãos, o símbolo do Movimento Compre do Pequeno Negócio. “O bolo é para chamar a atenção, mas foi só um teste para tudo o que quero fazer”, diz o lojista, que já divulgou a foto do produto no perfil da loja no Instagram. “Na primeira semana de outubro, pretendo decorar o espaço com cartazes e balões e quero ver se arranjo alguém para colocar um som na rua. E também vou distribuir adesivos e canetas com a marca do movimento.”

Almeida começou como empresário há um ano, quando trocou a experiência de empregado na área de logística pelo registro como MEI (microempreendedor individual), forma escolhida para abrir o Palácio dos Bolos. Apesar do pouco tempo à frente de um empreendimento próprio, ele já se tornou um defensor dos pequenos negócios: “Quando a gente conhece os números, os empregos gerados, o volume do PIB, a gente vê que não há nada mais justo do que valorizar os pequenos. Esse movimento precisa durar para sempre e é no boca a boca que ele vai se tornar conhecido”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui