Delegacia da Mulher em Duque de Caxias tem recorde estadual de denúncias

60

Agressões, ameaças, injúria: veja relatos de vítimas na delegacia recordista de casos de violência contra mulher no RJ.

A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) do município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, detém o recorde negativo de violência contra a mulher no estado. Em 2018, a unidade teve o maior número de registros em todo o Rio de Janeiro: mais de 3,8 mil em 2018, segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP).

O número aponta que, em média, mais de 300 mulheres sofreram algum tipo de violência por mês no último ano – mais de 10 por dia.

Número de registros das Delegacias de Atendimento à Mulher (DEAM) com mais casos em 2018:

  • Duque de Caxias: 3.880
  • Centro: 3.681
  • Jacarepaguá: 3.313
  • Campo grande: 3.187
  • Nova Iguaçu: 3.044

Dentro desses registros, o município também lidera em crimes como lesão corporal e ameaças. Em todo o estado, mais de 31 mil casos foram registrados nas Delegacias de Atendimento à Mulher, segundo o ISP.

Os números de 2019 estão longe de serem positivos, segundo a delegada da Deam Caxias, Fernanda Fernandes. Apenas no primeiro trimestre foram feitos 809 registros.

Rotina na DEAM Caxias

Durante uma segunda-feira no início de abril, o G1 acompanhou a rotina dos investigadores que recebem dezenas de mulheres para denunciar agressões físicas, psicológicas e patrimonial. Todas as vítimas, que concederam entrevista, tiveram a identidade preservada.

Quando a equipe de reportagem chegou à delegacia, por volta das 13h30, a recepção já estava cheia e as mulheres se aglomeravam para serem atendidas. Ainda com dores das agressões do dia anterior, uma das vítimas relatou que conseguiu salvar sua própria vida ao subir no telhado de casa e ligar para a polícia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.