Os hábitos dos norte-americanos derivam de tradições de imigrantes europeus, asiáticos e latinos. Mas como os costumes costumam ser diferentes em cada país, alguns costumes dos norte-americanos nos deixam os realmente impressionados.

Confira a seguir, alguns desses costumes e algumas dessas coisas que  acabamos estranhando em nossa primeira visita.

O preço não é esse!

Você sabia que o preço que você vê nas prateleiras não será o valor pago no caixa? Pois é, eles costumam incluir os impostos no caixa, bem diferente aqui do Brasil. E isso ainda varia de estado para estado, e além disso, os municípios também podem adicionar mais impostos. Tente explicar para um brasileiro que vai para os EUA que ele vai pagar um preço um pouco maior do que está marcado na prateleira.

A gorjeta, por favor!

O hábito de dar gorjetas é ensinado aos americanos desde quando são crianças. Quando uma pessoa não dá gorjeta para um garçom, ou ela é muito pobre, ou foi muito mal atendida. Para nós brasileiros, por exemplo, os 10% normalmente já vêm incluídos na conta, mas nos EUA nem sempre vêm e nem sempre 10% fazem uma boa gorjeta e os americanos se sentem ofendidos quando não a recebem.

Em restaurantes mais caros, em média, os garçons fazem de $200-$500 dólares só de gorjeta.

Seria chique levar sobras para casa?

É para o cachorrinho, sabe?

Quando sobra comida em um restaurante, vocês pedem para embalar e levam para casa ou deixam a comida por lá? Muitas pessoas fazem isso nos EUA, mas nós, os brasileiros, recordistas no quesito desperdício de comida, achamos muito estranho e até sentimos vergonha de fazer isso. O fato é que você verá restaurantes que já colocam as sobras na quentinha sem você pedir, dando descontos para quem leva e até pessoas levando apenas uma fatia de pizza para casa.

 

Que negócio é esse de churrasco de hambúrguer

Churrasco de hambúrguer?

Quando você for convidado para um churrasco nos Estados Unidos, vá com calma, pois é bem improvável que você encontre um bom pedaço de carne; eles geralmente são feitos com hambúrguer feito em casa, que é basicamente carne moída sem nenhum tempero nem sal, moldada do tamanho de um hambúrguer. Depois cada convidado monta o seu próprio hambúrguer. As linguiças também marcam presença e viram deliciosos hot-dogs. Apesar de diferente, os churrascos americanos podem também ser muito saborosos.

Cadê meus aplausos?

Nos aniversários no Brasil, a hora de cantar parabéns pra você é o momento mais esperado e gostamos de demonstrar toda a nossa alegria cantando e batendo palmas, não é mesmo? A hora dos parabéns dos americanos é apenas cantada, com as palmas marcando presença só no final . É um pouco estranho, afinal o que você faz com as mãos enquanto canta? A impressão é de estar num coral ou algo do tipo.

Lencinhos

O que houve com os paninhos? Panos ficam sujos, acumulam sujeira e devem ser lavados, por isso a praticidade tornou os americanos completamente dependentes dos lencinhos de papel.Tudo que é limpo com os famosos lenços umedecidos com produtos antibactericidas estão 100% livres de bactérias e sujeiras. Não precisa nem se dar ao trabalho de dar uma limpada prévia pra tirar a sujeira, os milagrosos lencinhos dão conta do serviço.

Veja se dá pra matar a sede com um refrigerante de bacon a seguir!

Bacon

O imenso amor deles por bacon que nós tanto estranhamos pode até parecer estranho, mas é real. Algumas coisas que lá podem ser encontradas no sabor bacon que os brasileiros jamais se acostumarão são: Balas de bacon, coca cola de bacon, milk shake sabor bacon, sorvete de bacon, refrigerante de bacon, pirulito de bacon, jujuba sabor bacon, batom com gosto de bacon, maionese com bacon, vodca de bacon, chocolate de bacon e até algodão doce de bacon! Parece mentira, mas é verdade sim!

Você estranharia se tivesse água na sua mesa?

Água de graça

Essa é estranho que os brasileiros estranhem, visto que, por lei, todo restaurante é obrigado a servir água filtrada da casa se você pedir. O fato é que aqui acabamos pedindo água mineral com gás, e o garçom agradece, mas lá quando você senta na mesa, o garçom já coloca uma jarra enorme de água filtrada, mesmo que você não peça. E ele volta para dar o refil cada vez que você dá um gole. É o jeitinho jogando contra.

Hoje vai fazer 100°?

Socorro! Vou morrer torrado! Calma, porque nos EUA a unidade mais usada para medir temperatura é Fahrenheit e não Celsius, por isso, alguns lugares podem mesmo chegar a 100°F no verão, o que significa que você terá que suportar abrasantes 37°C de temperatura. A fórmula é simples: temperatura em Celsius dividido por cinco é igual a temperatura em Fahrenheit menos trinta e dois, dividido por nove. Tá certo que é quente, mas se você é carioca vai tirar isso de letra.

Como assim não posso me embebedar?

Calma que não é bem assim. O que não pode como regra nos Estados Unidos é beber nas ruas.Dependendo do estado, até pode, desde que você cubra a garrafa ou a lata com um saco de papel opaco. Em alguns estados, como na Califórnia, é realmente proibido em qualquer hipótese, consumir bebidas nas ruas, ou em carros. E se você carregar qualquer tipo de álcool no carro tem que estar no porta mala.

Dois quilos de pistola, por favor.

Sim, alguns supermercados têm uma seção de armas. A rede de supermercados Walmart, por exemplo, voltou a vender armas em algumas de suas lojas nos Estados Unidos. A empresa havia deixado de vender o produto por cinco anos, juntamente com outros itens, mas resolveu retomar as vendas, com o objetivo atrair homens para as lojas e reviver sua imagem de one-stop shopping, ou seja, de uma loja onde é possível comprar tudo.

Como assim não posso correr?

Mais uma vez, calma que não é tanto assim ! Os Estados Unidos é o único país que ainda não migrou para o SI, Sistema Internacional de medidas, que utiliza o padrão métrico, utilizando ainda as milhas, onças, jardas etc . Então, se você estiver na estrada e vir aquela placa de 55MPH, ou seja, milhas por hora, saiba que você poderá chegar a pouco mais de 88 Km/h . Não é tão lento assim, né?

Esse café é meio fraco, não?

Sim, você vai estranhar muito. O café deles é bem fraco e ralo, o famoso “chafé” e é difícil para os brasileiros, acostumados com aquele café forte da vovó, apreciarem o café americano. Por isso eles bebem em copos enormes para os nossos padrões, chegando até a 500ml com muito leite ou “creamer” que é um leite mais cremoso feito para cafés. Outra coisa diferente é que o café bom de lá é colombiano.

Pó Colombiano?

Ainda estranhando o café? Então não tem jeito, tem que pedir o café colombiano e pagar mais por isso, cerca de 3 dólares a xícara. Enfim, o certo é que os americanos saem de casa com um copo de café na mão. Dirigem tomando café. Os professores entram na sala de aula tomando seu café. O porta-copos é item obrigatório nos carros americanos. Nos restaurantes, as garçonetes circulam, de mesa em mesa, com grandes jarras de café enchendo os copos de seus clientes… é uma fartura. Um ingrediente cultural que você deveria experimentar ao estilo americano.

Na mão grande

Se você for em algum restaurante ou rede fast-food nos Estados Unidos vai ver todo mundo segurando o sanduíche sem guardanapo. Sim, segurar o sanduíche ou a pizza sem um guardanapo não é um problema de higiene, é a praticidade americana no seu ápice. Engraçado que eles acham esquisito quando nós nos enchemos de guardanapos para comer os sanduíches que para eles devem ser comidos com as mãos. Que confusão!

Pontualidade britânica

O estranho hábito que os brasileiros ainda consideram um “charme” é considerado uma extrema falta de educação, consideração e respeito com a outra parte. Isso mesmo, a clássica pontualidade não é só britânica. Se não puder chegar no horário, é mandatório entrar em contato com a outra parte antes do horário marcado e avisar sobre o seu atraso. Agora, o brasileiro, fala que vai chegar as 6pm mas na realidade vai chegar 7pm, ou as vezes até 8pm.

Que moda é essa?

É claro que alguns locais têm um dress code rígido, mas se não houver, a informalidade faz parte do vestuário cotidiano americano até mesmo quando se trata de ir ao teatro. Você encontra num mesmo local, desde o “pretinho básico”, a jeans, camiseta e chapéu de cowboy, passando por terno e gravata. Resumindo, é impossível se sentir inadequado porque o americano não repara nisso. É uma escolha pessoal. Nada como ter a sua individualidade respeitada, não é mesmo?

Tudo é muito grande!

Socorro moça, eu pedi o médio e não o gigante ! Chegamos lá cheios de marra e pedimos um refrigerante grande no Fast Food preferido, mas quando chega o famoso copo contendo mais de 1 litro de refri, e o herói que existe dentro de nós é abatido como se exposto a criptonita . O pequeno oferece 16 ounces (FL. OZ.), ou seja, 500ml . Tá bom pra você ?

Cumprimentar alguém com beijinhos no rosto

Aqui no Brasil divide opiniões e dá até briga! Um, dois ou três beijinhos no rosto para dar oi para alguém? Nos Estados Unidos não tem discussão, muito reservados com desconhecidos, esta atitude tão normal no Brasil é considerada invasiva e inconveniente por lá. Abraços e beijos somente quando a pessoa já tiver um bom nível de intimidade. Por isso, para evitar serem mal interpretados, os americanos costumam cumprimentar as pessoas com um simples aperto de mão.

Não tomar banho todos os dias e não escovar os dentes após as refeições

Essa é mais uma que devíamos ensinar ao mundo. Por aqui é normal e higiênico tomar banho todos os dias, com algumas pessoas tomando até mais de duas vezes por dia, este hábito é considerado exagero para os americanos. Além do clima frio e da conta de água ser cara, eles ainda acreditam que este hábito prejudica a pele e os cabelos. A mesma regra vale para escovar os dentes: enquanto nós temos o costume de escovar sempre que possível após qualquer refeição, eles acreditam que escovar antes de dormir é o suficiente pra deixá-los limpos.

Comer pizza com as mãos

Em casa ou na rua, principalmente em Nova York, se você comer pizza com garfo e faca nos Estados Unidos, certamente será reconhecido como turista. Por aqui é bem normal comer a pizza com talheres, mas lá é considerado uma “frescura”. Encher as fatias de catchup ou azeite por lá não dá, é praticamente garantia de sujar toda sua roupa. Lá eles também adoram botar “ranch” (molho para saladas) e parmesão no pedaço de pizza.

Chamar uma pessoa mais velha ou desconhecida pelo primeiro nome

Aqui já foi assim, mas nos Estados Unidos, isso ainda é falta de respeito. Só podemos chamar uma pessoa mais velha ou desconhecida por “Mr.” ou “Mrs, Miss, Ms” para mulheres, seguido do sobrenome da pessoa. Ou seja, se você acabou de conhecer o José da Silva, deve chamá-lo de “Mr. Silva” e não José. Zé então, nem pensar! Por isso, só se chama uma pessoa pelo primeiro nome depois de conseguir um bom nível de intimidade.

Abacate salgado?

Parece que somos os únicos a comer abacate em forma de doce. Em todo o mundo o abacate não é um alimento doce. Popularizado pelos guacamoles mexicanos, o abacate só é consumido com sal e pimenta-do-reino nos EUA, em saladas ou como aperitivo. Lá você não vai encontrare apesar de essa fruta cair muito bem com açúcar ou como vitamina, não vai ser fácil convence-los a provar essa iguaria do nosso jeito.

Veja no próximo slide por que não perguntarão sobre sua intimidade nas entrevistas de emprego.

Intimidades nas entrevistas

Qual sua idade? Quantos filhos você tem? Qual a profissão da sua mãe? O que você faz nos fins de semana? Porque não se casou ainda? Essas perguntas são obrigatórias nas entrevistas de emprego que fazemos aqui no Brasil, mas você nunca ouvirá ao se candidatar a uma vaga nos EUA. Aqui, por uma estranha razão, as pessoas se importam menos com suas habilidades específicas e mais com a sua vida pessoal, já para os “gringos”, o que importa é o que você trás de bagagem profissional.

Banheiro sem “lixinho” existe mesmo? Veja a seguir.

Cadê o lixinho do banheiro?

Rapaz, esse hábito brasileiro não existe por lá . Caso você esteja apertado e notar que não tem aquele lixinho no banheiro não estranhe: É para jogar no vaso mesmo. Aqui no Brasil, o jeitinho brasileiro acaba criando distorções. Como 90% da população não é beneficiada pelo tratamento de esgoto, que acaba sendo jogado pelas “autoridades responsáveis” nos rios e mares, criamos o desagradável “lixinho” para resolver o problema .

Veja no próximo slide por que a maioria das casas nos EUA não têm caixa d’água

Cadê minha caixa d’água?

Problema similar ao anterior . A explicação que nos deram foi a seguinte: “Pagamos caro para receber água encanada em casa, se a companhia descumpre o contrato, será penalizada .” Ou seja, não existe a popular “falta d’água” desde que você pague a conta . Não pagou ? Será cortada no dia seguinte . Pagou ? Se a companhia não entregar a água pela qual você pagou, estará encrencada .

Veja se é verdade mesmo que as pessoas enviam dinheiro pelos correios a seguir.

Cheque no correio?

Pois é. O dinheiro que você paga pelas coisas é ganho com sacrifício e as pessoas sabem disso.Os brasileiros estranham muito, mas lá o pessoal coloca um cheque nos correios para pagar contas, e vai dormir tranquilo sabendo que sua obrigação está em dia. E nem precisa muito esforço pois o envelope pode ser depositado numa das urnas espalhadas pela cidade. Um dia o Brasil já teve uma dessas em cada esquina, mas…

Furão!

“Nossa, meu amigo! Se o convite que você enviou tivesse chegado em minha casa eu teria ido no seu casamento, mas ele nunca chegou…” não diga isso nos EUA se não for absoluta verdade. Nunca! Porque se o anfitrião tiver realmente colocado o convite nos correios, ele processará a empresa por não ter entregado a correspondência, os correios verificarão que foi entregue, você será processado e ainda perderá um amigo!

Aplausos para as tropas

Os brasileiros que presenciam essa cena estranham, mas é muito comum ver o povo aplaudindo e agradecendo a soldados uniformizados, no meio da rua mesmo. Os americanos têm um patriotismo muito acentuado e sabe que seus interesses são defendidos pelos órgãos públicos por todo o mundo, até mesmo por meio da força. Por isso, eles valorizam muito quem já serviu o exército ou foi para guerra tendo “desconto de militar” em lojas, mercados, cinema, etc.

O que temos hoje pra jantar?

Essa a gente estranha bastante, mas abrir a geladeira do anfitrião é comum por lá. Aqui aprendemos que se deve ter uma boa dose de cerimônia na casa dos outros, mas entre os “gringos”, caso você avançou a intimidade ao ponto de convidar ou ser convidado por ele, saiba que não tem problema abrir a geladeira do anfitrião. Lógico que os brazucas não o farão, mas pode fazer isso sem vergonha nenhuma.

Ao sinal de parar, pare!

Sabe aquela placa de trânsito que temos aqui também, onde lemos PARE, lá é a mesma só que vem escrito STOP, e significa que o motorista deve fazer uma parada completa mesmo que não haja outro carro ou pedestre circulando. Aqui já é difícil parar em sinais vermelhos, que diremos das pobres e desprezadas placas. Se não quiser gastar uma boa parte do dinheiro das férias em multas, é melhor mudar de hábitos!

Casais sentando lado a lado

Nos EUA os casais costumam se sentar um de frente para o outro, isso até facilita o brinde! Nós estranhamos porque costumamos sentar ao lado de nossos amados, para manter o contato físico, tipo mãos dadas etc. Lá eles acham que um casal senta lado a lado para não se olharem. E aqui nós achamos que eles sentam de frente para o outro para não ter contato. Qual você prefere?

Beijo, tchau!

Terminar um texto, seja carta, mensagem email, com um beijo ou um abraço é terrivelmente íntimo para ser feito com uma pessoa com a qual não somos tão amigos assim. Em textos profissionais então… pecado mortal! Muito estranho para nós, aquele sujeito super legal com o qual falamos, nos enviar um email terminando com “Cumprimentos” ou “Saudações”, certo? Melhor ir se acostumando…Nós falamos “beijos, tchau” para quem acabamos de conhecer.

Sungão

Outra coisa completamente diferente é o tamanho dos trajes de banho que eles usam. Os de homem não, falamos dos biquínis. Pois é, fio dental nas praias americanas é coisa rara de encontrar e os brasileiros estranham os biquínis grandões usados pelas americanas. É certo que às vezes exageramos, mas os de lá são grandes demais até mesmo para nossas vovós! Acostume-se, portanto, a apreciar as belas paisagens das praias americanas!

Agora é sobre os meninos mesmo! Outra coisa inconcebível para os americanos é o costume dos homens brasileiros de usar sungas para ir a praia. Para eles, se você não é medalhista olímpico, é um absurdo usar uma peça tão justa, mais ainda que as próprias cuecas, capaz de mostrar em público todo o contorno no órgão masculino. Nas praias do Brasil, é muito comum ver os homens vestindo sunga.

Depilação brasileira

Como o próprio nome diz, o estilo escolhido pelas brasileiras para depilar não é muito usada fora do Brasil, mas quando alguma americana se dispõe a enfrentar a cera para “causar”, ela procura pela “depilação brasileira”, só para você ter ideia do quanto isso é típico do nosso país. Aliás, outra coisa que eles acham engraçado é que mulheres descolorem os pelos do corpo. E nós estranharemos muito no nosso ponto de vista!

American Bully

Nesses tempos de Brasil politicamente correto, estranharemos muito os “valentões” dos colégios americanos. Lá eles ainda existem nas escolas e até mesmo na vida adulta. São os caras grandões que batem nos mais fracos, comem sua merenda e chegam até a roubar o dinheiro do lanche . Exatamente como nós vemos nos filmes americanos. O combate a isso por lá é um pouco diferente do nosso, por isso estranhamos.

Cadê meu tanque?

Não estamos falando de tanques de guerra, mas como assim as casas não têm tanque para lavar minhas roupas delicadas ? Pois é, serviços em geral são muito caros nos EUA e empregadas domésticas não são exceção . E ninguém quer perder tempo num tanque com uma máquina de lavar ao lado, com ajustes específicos para roupas delicada . Essa instituição brasileira não tem muito lugar nos Estados Unidos.

DEIXE UMA RESPOSTA