Teve a bagagem extraviada? Saiba o que fazer para não ficar no prejuízo.

Para os consumidores que viajam de avião durante qualquer período, seja longa ou curta a sua viagem, inclusive no Carnaval, um dos principais temores é o extravio de bagagem.

0
301
De acordo o Código de Defesa do Consumidor, a partir do check-in, a companhia fica responsável pelas malas do passageiro e deve indenizá-lo em caso de extravio ou dano. Mesmo se a viagem tiver sido contratada em uma agência de turismo, ela também responde pelo incidente.

Quem já passou por esta situação sabe quanta dor de cabeça uma mala extraviada pode dar. Tanto que extravio de bagagem está entre as principais reclamações que chegam aos balcões da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ninguém sai para descansar esperando passar por um imprevisto desses, mas é preciso se precaver para que, caso aconteça, os responsáveis ao menos minimizem devidamente o prejuízo do consumidor.

extraviodebagagemO Código de Defesa do Consumidor determina que a empresa pague um valor equivalente ao da mala e objetos nela contidos, além de todas as despesas que o cliente venha a ter por conta do extravio de sua bagagem. E para garantir que o ressarcimento se dará caso haja esse imprevisto, a sugestão é que faça uma lista completa do que está levando na mala. Faça o check-in com antecedência, confira todos os cartões de embarque e tickets de bagagem. No caso de conexões em viagens aéreas, o passageiro deve verificar qual é a empresa que fará o transporte para completar o destino pretendido. Se for uma companhia diferente, ele tem de ficar atento à possibilidade de extravio de malas e levar, na bagagem de mão, todas as notas fiscais de compras feitas, outra dica é tirar uma foto dos objetos que a mala contém.

Caso aconteça o pior, logo que notar o extravio de sua bagagem na sala de desembarque, as primeiras providências são, dirija-se ao balcão da companhia aérea e preencha o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB). Registre também uma queixa no escritório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) dentro do aeroporto.

No caso de extravio de bagagem durante o voo de uma empresa estrangeira, a lei brasileira “só vale se o contrato foi firmado no Brasil. Se feito no exterior, vale a legislação do país de origem da companhia”, neste caso é aconselhável à contratação de um seguro viagem antes do embarque, que reembolse os valores de malas extraviadas, pois o custo de uma ação judicial no exterior é altíssimo e torna inviável fazê-la.

Um grande abraço e até a próxima!


Kleber Aprigio

 

DEIXE UMA RESPOSTA