Record dita a regra do jogo com “Os Dez Mandamentos”

628

Petrônio Gontijo e Guilherme Winter (Fotos: Divulgação/TV Record)Petrônio Gontijo e Guilherme Winter (Fotos: Divulgação/TV Record)

Começo me desculpando pelo trocadilho infame no título. Mas é notável o feito daRecord com sua novela “Os Dez Mandamentos”, que está incomodando a Globonesta estreia da aguardada novela de João Emanuel Carneiro, “A Regra do Jogo”. Por causa do sucesso da trama bíblica, a concorrente vem empurrando sua nova atração para mais tarde, tentando minimizar o confronto direto. A novela das nove da Globo (que já foi das oito), está sendo jocosamente chamada de “novela das dez”.

Os Dez Mandamentos”, escrita por Vívian de Oliveira, com direção geral deAlexandre Avancini, é a sexta produção bíblica da Record nesta década, a primeira no formato telenovela. As anteriores foram exibidas como histórias seriadas ou minisséries (“A História de Ester”, “Sansão e Dalila”, “Rei Davi”, “José do Egito” e “Milagres de Jesus”). De longe, é a produção de maior sucesso e repercussão.

Para transformar a saga de Moisés em novela, a autora Vívian de Oliveiraapresenta a trama de forma folhetinesca, com entrechos que prendem o público de novelas. Mas sem fugir do ranço do texto bíblico, com muitas frases de doutrinação religiosa, que na maioria das vezes soam teatrais, principalmente quando empostadas por algum ator desavisado. O tom teatral é até de se esperar em uma produção do gênero – estranho seria se tudo fosse coloquial ou realista demais.

Sérgio Marone

O elenco tem atores experientes em ótimas interpretações, como Denise Del Vecchio(Joquebede), Vera Zimmermann (Henutmire) eAdriana Garambone (Yunet). Guilherme Wintervive Moisés de forma correta. Sérgio Marone chama a atenção com seu Ramsés, assim como Zé Carlos Machado, que viveu o faraó Seti I.

A Record atingiu um bom patamar com sua experiência em minisséries bíblicas. A produção de “Os Dez Mandamentos” é caprichada, a direção (equipe de Alexandre Avancini), cuidadosa. Os cenários e figurinos estão mais coerentes após a correção na fotografia, que deixou a novela menos iluminada, com efeito, menos colorida e carnavalesca.

E a trama está em sua melhor fase – todos conhecem a incrível história das pragas do Egito -, justificando a boa repercussão. Por causa do sucesso que vem fazendo, “Os Dez Mandamentos” foi espichada para meados de novembro, ganhando, pelo menos, mais 20 capítulos além dos 150 inicialmente previstos. Sexta-feira, 04/09, foi ao ar o capítulo 120.

A novela estreou em março e já começou bem no Ibope: nos dois primeiros meses, marcou uma média de 12 a 13 pontos na Grande São Paulo (cada ponto equivale a 67 mil domicílios), desbancando o segundo lugar do SBT no horário. E a audiência foi crescendo. A média geral, até o momento, é de 14 pontos, que certamente será maior até o seu encerramento. Na semana passada, com o desenrolar da primeira praga do Egito (a água se transformou em sangue), “Os Dez Mandamentos” fechou com média semanal de 19 pontos.

Camila Rodrigues

Há muito tempo a Globo reconhece a repercussão da concorrência e se mobiliza para enfrentá-la. Já na época de “Pantanal” (da TV Manchete, em 1990), medidas foram tomadas para diminuir os efeitos da concorrente sobre sua programação. Na época, aGlobo chegou a lançar uma novela (“Araponga”, deDias Gomes) para concorrer diretamente com “Pantanal”. Sabemos que de nada adiantou.

A Record guardou a melhor fase de “Os Dez Mandamentos” para enfrentar a estreia de “A Regra de Jogo” – ainda que o confronto não seja direto, mas por alguns minutos. Assim, além do telespectador que já é fiel à novela, ela fisga ainda a parcela curiosa com as pragas do Egito, se aproveitando do fato da concorrente não ter tido tempo hábil para conquistar público com sua nova atração.

Lembrando que João Emanuel Carneiro enfrentou problema semelhante em 2008, com a estreia de “A Favorita”, que em seu início bateu de frente com a melhor fase de repercussão de “Os Mutantes”, da própria Record. O fato é que “A Regra do Jogo” herdou audiência em baixa de “Babilônia”. E “Os Dez Mandamentos” fica no ar por apenas mais dois meses. Esse jogo pode virar, quando estrear a nova produção da Record (“Escrava Mãe“, que não será uma trama bíblica).

O bom disso tudo é que são duas produções bem distintas em horários (quase) subsequentes, de canais diferentes. Representam diversidade para o público. As emissoras podem até impor suas regras. Cabe ao telespectador querer jogar ou não.

Fonte: UOL

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.