Príncipe William é capa de revista gay britânica

Publicação será lançada dia 22, apenas algumas semanas depois do suposto beijo do príncipe Charles em um 'boy toy'

0
142
Se o príncipe Charles realmente tem um namorado, isso não deve ser problema para o filho William.

O terceiro na linha de sucessão do trono britânico critica o bullying aos gays na nova edição da Attitude, a principal revista LGBT britânica, da qual é capa. A publicação será lançada no próximo dia 22, apenas algumas semanas depois das fotos em que, supostamente, Charles beija um garoto apontado pela Globe Magazine como seu boy toy. Esta é a primeira vez que um membro da realeza estampa a capa de um título gay – o tabloide americano é um título de generalidades.

E partiu do próprio William a iniciativa. Em 12 de maio, o neto da rainha Elizabeth II pediu à direção da Attitude que levasse membros da comunidade LGTB (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgênero) ao palácio de Kensington para falar sobre os problemas psicológicos decorrentes da homofobia, da bifobia e da transfobia. “Ninguém deve ser intimidado por sua sexualidade ou por outra razão, e ninguém tem que suportar o ódio que estes jovens recebem por toda a vida”, disse William à revista. Segundo aAttitude, o príncipe ficou chocado com as taxas de suicídio entre jovens homossexuais. Elas são quase duas vezes maiores que as de jovens heterossexuais: 33,9% contra 17,9%. Entre os transgêneros, o número sobe ainda mais: 48,1%.

“Os jovens gays e transgêneros que conheci através da Attitude são corajosos para falar e dar esperança para as pessoas que estão passando por um terrível assédio moral. Sua sensação de força e otimismo deve nos dar todo o incentivo para enfrentar o bullying sempre que ele acontecer”, disse também o príncipe. William, de 33 anos, ainad aconselhou os leitores da publicação que são vítimas de algum tipo de intimidação a procurar ajuda. “Fale com alguém de confiança, um amigo, um professor ou serviços como (a organização) Childline e obtenha a ajuda que necessita”, afirmou. “Vocês devem ser orgulhosos do que são e não têm porque se envergonhar.”

O duque de Cambridge e sua esposa Kate foram na terça-feira à Embaixada americana para assinar o livro de condolências em honra às 49 vítimas do tiroteio em uma boate gay de Orlando.

DEIXE UMA RESPOSTA