Nutricionista orienta sobre consumo de chocolates

0
7

Diante das doces tentações da Páscoa, o ideal é preferir o chocolate com menor teor de gordura possível e maior quantidade de cacau, segundo a nutricionista Nathalia Ferreira.

Ela conta que, atualmente, o chocolate meio amargo (entre 40% e 50% de cacau) é bem aceito, mas ainda existe resistência quanto ao consumo.

O ideal é preferir aqueles com teor de cacau acima de 60%. Quanto mais amargo melhor e mais benefícios terá. Devemos ter atenção ao rótulo do produto para saber o teor de cacau e gorduras. Sobre qual o consumo máximo de chocolate por dia, não existe uma recomendação fechada. O bom é conversar com um nutricionista para equilibrar o consumo de chocolate dentro de uma dieta saudável. Uma porção usual é estimada entre 25 e 30 gramas”, explica Nathalia, que é professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase).

Para ela, consumir chocolates que têm avelãs, castanhas e amêndoas pode ser uma boa opção: “A combinação chocolate e oleaginosas é interessante, pois configuram melhor potencial antioxidante, além de as oleaginosas auxiliarem na absorção dos carboidratos. Mas não é por isso que vamos comer de forma excessiva, moderação é a palavra chave quando tratamos de alimentação saudável.”

Nathalia Ferreira recorda que o chocolate está cada vez mais sendo estudado, com seus benefícios elucidados. “Já é bem documentado que o chocolate é rico em flavonoides, que conferem capacidade antioxidante. Também tem grande relação com bem estar, pois eleva os níveis de serotonina, sendo indicado no pré-treino para praticantes de atividade física, e possui capacidade anti-inflamatória. Mas o chocolate contém cafeína e não deve ser consumido em excesso. Além disso, devemos pensar também no consumo excessivo relacionado ao número de calorias ingeridas, o que pode levar ao ganho de peso”, ressalta a professora.

DEIXE UMA RESPOSTA