Hiperidrose: conheça os tratamentos disponíveis

O suor excessivo pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas é muito mais comum nas axilas

0
239
Quando suor excessivo atrapalha, deve-se procurar ajuda médica

A hiperidrose é uma doença dermatológica caracterizada basicamente pelo suor excessivo ou exagerado.

O que pode trazer muito transtorno e embaraço no dia a dia das pessoas que a possuem. É verificada em homens e mulheres, com prevalência maior em pacientes a partir de 18 anos. O suor pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas é muito mais comum nas axilas, palmas das mãos e planta dos pés. Geralmente este suor ocorre de maneira episódica (aparecendo e desaparecendo), várias vezes por dia, tanto nos dias quentes como nos dias de frio.

O excesso de sudorese é consequência de uma alteração da inervação do sistema nervoso simpático, que atua sobre as glândulas sudoríparas do tipo apócrina. O sistema nervoso simpático também é responsável pela preparação do nosso corpo para as situações de medo, estresse ou excitação. As estatísticas indicam que em torno de 1 a 2% da população mundial apresenta a doença, que tem relação de hereditariedade. Por desconhecimento ou, talvez, pelos constrangimentos que a sudorese provoca, a existência da hiperidrose é pouco discutida. Assim como as possibilidades de tratamentos que dispomos nos dias de hoje para tratar esta patologia.

Sendo assim, podemos afirmar que a hiperidrose pode ser tratada de várias maneiras:

» A maneira mais definitiva de tratamento é também a mais radical. Através de uma cirurgia torácica, um nervo é seccionado e, assim, ocorre o bloqueio do estímulo para ativar a sudorese na área afetada.

» Existe também outra cirurgia, onde se faz uma aspiração das glândulas sudoríparas das axilas. Esta cirurgia é restrita apenas a hiperidrose das axilas, enquanto que na cirurgia torácica acima descrita, ela é efetiva para as axilas e para as palmas das mãos, sem qualquer ação para a hiperidrose da planta dos pés.

» Muito recentemente, foi lançado um equipamento de laser específico, que é usado para o tratamento da hiperidrose das axilas, mas devido ao seu altíssimo custo no Brasil, esta modalidade, também bastante eficaz de tratamento, não se tornou muito difundida ainda.

» Para aquelas pessoas que não pretendem passar por uma cirurgia e que temem suas complicações, a toxina botulínica surge como uma alternativa altamente eficaz e segura. Por bloquear o estímulo do suor junto às glândulas sudoríparas, a toxina botulínica reduz de maneira temporária, mas também muito efetiva, a produção excessiva do suor. A sua duração varia entre 6 a 10 meses.

O procedimento é realizado no consultório do dermatologista, com duração de mais ou menos 30 minutos e os seus efeitos benéficos já são percebidos a partir de 72 horas após a sua realização. A vantagem é poder ser realizada igualmente nas axilas, nas palmas das mãos, assim como na planta dos pés. A procura pela toxina botulínica é maior por ser um procedimento simples, rápido e tão eficaz contra a hiperidrose. Em geral, os pacientes que já experimentaram os seus excelentes resultados dificilmente deixam de refazê-lo, devido ao enorme conforto proporcionado.

Por todos estes motivos salientados, quando o assunto é a hiperidrose, vale super a pena consultar um dermatologista capacitado a explicar de forma detalhada todos os prós e contras destes tratamentos, individualizando cada caso.

DEIXE UMA RESPOSTA