Guapimirim abre inscrições para o Programa Família Acolhedora

0
230
A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Guapimirim abriu inscrição para pessoas que queiram fazer parte do programa Família Acolhedora no município.

O programa acolhe crianças e adolescentes de 0 a 18 anos que, por algum motivo, tiveram que ser afastadas de suas famílias biológicas, ficando assim, por um período máximo de 2 anos, na casa da família que a acolher. Acolhimento não significa a adoção da criança – ela estará apenas sob os cuidados desta família e receberá acompanhamento de assistentes sociais e psicólogos até que ela possa voltar ao convívio de sua família biológica.

Guapimirim abre inscrições para o Programa Família Acolhedora

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Guapimirim abriu inscrição para pessoas que queiram fazer parte do programa Família Acolhedora no município. O programa acolhe crianças e adolescentes de 0 a 17 anos e 11 meses  que, por medida protetiva, tiveram que ser afastadas de suas famílias biológicas, ficando assim, por um período 6 meses a 2 anos , na casa da família que a acolher. Acolhimento não significa a adoção da criança – ela estará apenas sob os cuidados desta família e receberá acompanhamento de assistentes sociais e psicólogos até que ela possa voltar ao convívio de sua família biológica.

Os interessados devem preencher o formulário abaixo para fazer a pré-inscrição. Depois é só aguardar o contato da equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Quem são as Famílias Acolhedoras

Qualquer família pode se cadastrar para participar do Serviço. Caso seja selecionada, será devidamente capacitada para acolher a criança ou adolescente, e receberá acompanhamento da equipe técnica do Serviço de Acolhimento. O fundamental é ter disposição afetiva e emocional para participar de uma ação que pode mudar a vida de uma criança e de sua família.

Quem são as crianças ou adolescentes acolhidos

Podem participar crianças e adolescentes de 0 a 17 anos e 11 meses, especialmente aqueles que, na avaliação da equipe técnica do Serviço tenham possibilidades de retorno à família de origem. Caso isso não seja possível, mesmo após todas as intervenções necessárias, a criança ou adolescente pode ainda ser encaminhado à família ampliada ou, excepcionalmente, para adoção. Apenas como último recurso será encaminhada a abrigo.

Quais as atribuições da Família Acolhedora

Como o objetivo essencial do Serviço é restituir a criança ou adolescente à sua própria família, nuclear ou extensa, a Família Acolhedora deve preservar o vínculo e a convivência entre irmãos e parentes. Deve ainda assumir os cuidados rotineiros com o acolhido – educação, atendimento à saúde etc. – no que terá apoio da equipe técnica do Programa.

Qual a diferença entre acolhimento e adoção

Adoção e acolhimento são propostas inteiramente diferentes. O acolhimento é feito por meio de um termo de guarda provisória, solicitado pelo serviço de acolhimento e emitido pela autoridade judiciária para a família acolhedora previamente cadastrada. Adoção, como já foi dito, é uma medida excepcional, que segue trâmites legais próprios e não privilegia a Família Acolhedora. A proposta, nunca é demais enfatizar, é reintegrar a criança à sua família.

Quanto tempo dura o acolhimento

Um trabalho sistemático será realizado para viabilizar o retorno da criança ou adolescente ao convívio da sua família, nuclear ou extensa, no prazo máximo de dois anos.

Os interessados devem preencher o formulário abaixo para fazer a pré-inscrição. Depois é só aguardar o contato da equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social para formalizar a participação.

DEIXE UMA RESPOSTA