Atleta olímpico do handebol visita seu antigo colégio em Nova Iguaçu

Fluminense, de Nova Iguaçu, João Pedro começou a praticar o esporte na unidade escolar

0
167

Nesta terça-feira (26/07), o atleta João Pedro da Silva voltou às origens ao pisar no Colégio Estadual Antônio da Silva, em Nova Iguaçu.

Às vésperas de se juntar à Seleção Brasileira de Handebol, na Vila Olímpica, o jogador, de 22 anos, fez questão de visitar a escola, onde estudou do 6º ano do Ensino Fundamental à 1ª série do Ensino Médio e foi revelado, para matar a saudade dos docentes e bater um papo com os alunos.

Na ocasião, o central, que estava acompanhado do pai e da noiva, recebeu várias homenagens dos ex-professores Joel Dutra, um dos incentivadores para que ele seguisse a carreira no esporte, e Alexandre Almeida, além de pedidos de “selfies” e autógrafos dos estudantes.

“A maior lembrança que tenho daqui é que tudo começou como diversão. Depois, sim, passei a levar a sério o handebol. Cada parede desta quadra me traz uma recordação. Lembro muito também do dia que estava sentado no pátio e o diretor me disse que um dirigente do ‘Esporte Clube Pinheiros’, de São Paulo, estava interessado em me contratar. Nessa época, nem passava pela minha cabeça sair do Rio”, recordou o atleta, que começou a carreira no ‘Nova Iguaçu Handebol Clube’.

Da Baixada Fluminense, o esportista teve passagem pelo ‘Esporte Clube Pinheiros’, em São Paulo, antes de se transferir para a Europa. Atualmente, o jogador defende o ‘Chambéry Savoie’, na França. Ele atuou, ainda, no “Barcelona B” e “Ademar de León”, na Espanha.

Para o secretário de Estado de Educação, Wagner Victer, é uma honra ter ex-alunos da Seeduc, como a atleta João Pedro da Silva, convocados para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Handebol

“Ele é um exemplo para os nossos estudantes. Começou a jogar na escola pública e, hoje, disputa a maior liga de handebol do mundo, na Europa, além de ter conquistado a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos, em Toronto, em 2015”, ressaltou Victer.

O professor de Educação Física do colégio, Joel Dutra, comentou que teve certeza de que o ex-aluno teria condições de chegar à seleção, assim que ele começou a jogar na escola.

“Ele se destacava entre os outros meninos da equipe. Assim que eu percebi o potencial do João, avisei aos pais dele que valeria a pena investir na careira do garoto”, afirmou Joel.

Joice Mel, aluna do 9° ano do Ensino Fundamental da unidade escolar e jogadora de handebol do ‘Nova Iguaçu Handebol Clube’,disse que a experiência de encontrar o ídolo foi emocionante.

“É um orgulho recebê-lo aqui na nossa escola. Meu sonho é ser uma atleta de seleção e quem sabe chegar um dia a disputar uma Olimpíada, como ele”, finalizou a estudante.

DEIXE UMA RESPOSTA